Paisagem em movimento - registros visuais do tempo

Atualizado: Jan 31

Basta observar, como registrou Heráclito - “ninguém pode entrar duas vezes no mesmo rio” - a natureza é transitória, cíclica. Sendo você, cara pessoa leitora, adepta ou não às transições, considerando-se próxima ou não à dita "natureza", não há como fugir do dia e da noite, das estações do ano e das fases da lua. Dos ciclos terrestres ao ciclo biológico, das eras geológicas à escala de anos, meses, dias ou horas: há mudança. O mosaico dessas variações é refletido no leque de diversidade que a vida apresenta e, assim, as marcas que são deixadas nos ambientes nos contam as histórias do tempo.


Abstrato à primeira vista mas, intuitivamente visível ao apreciarmos uma paisagem: cada detalhe e conjunto de características, representa uma parte da história.

A vista entre a névoa do alvorecer, da esquerda para a direita: Ilha do Mel, Ilha da Galheta, PR.

Em uma praia arenosa a maré baixa revela ondulações assimétricas na extensa faixa de areia que temporariamente está exposta, e pode formar poças entre as linhas de alcance da maré. Aqui, nós vemos as ondas que dispersaram sua energia na praia, como agentes de transporte e retrabalhamento desse cenário. O movimento de diferentes tamanhos de sedimentos - os grãos de areia, produzem marcas de acordo com as condições específicas do fluxo de água -

A baixa mar expõe bancos de areia que ficavam submersos.

direção e velocidade; as estruturas encontradas nos indicam qual o conjunto de variáveis, processos e conjunções associadas ao momento de formação; a cor e o tamanho do próprio sedimento nos dá ideias iniciais do percurso percorrido até serem depositados aqui; e as "pegadas" em macro e micro escala nos demonstram que esse ambiente abriga relações ecológicas únicas.


Aqui, há vida.
Vida entre marés. Esta zona de transição entre os domínios continental e marinho é dinâmica, sujeita a processos físicos e geoquímicos que proporcionam relações únicas.

Vida que sincroniza com os ritmos transitórios do ambiente e tem sua própria história evolutiva com o tempo. São recortes que podemos observar no presente, sutilezas do testemunho que cada componente da paisagem pode nos dar - nós estamos aprendendo a enxergar. Os processos que assistimos no presente ocorreram no passado e continuarão a ocorrer no futuro, em um dinâmico movimento da paisagem.

Vento, a força motriz que age seletivamente com o tempo

Na parte superior da praia, acima da linha da maré alta e nas dunas frontais, o vento é a força motriz por trás do movimento. De uma forma semelhante às ondulações formadas pelo vai e vem das ondas do oceano, as marcas de ondulação do vento em dunas são rítmicas e se alinham paralelas entre si, perpendiculares à direção dos últimos ventos.

Movimento dinâmico da linha costeira. Marcas onduladas formadas pelo vento em uma duna frontal.

As concentrações de minerais pesados - visíveis pela cor escura, podem produzir listras que tornam a forma ondulada mais aparente, e variam conforme o vento transporta seletivamente minerais de menor densidade.

Fundo recente da zona entre marés, Baía de Paranaguá-PR.

Em outras proporções, o desenho moldado por um agente de transporte pode ser visto no fundo oceânico antigo e petrificado, preservado por milhões e bilhões de anos. Esses registros têm potencial para serem instrumentos de reconstrução da direção de uma corrente marinha, de um canal ou do vento dominante no arenito que se depositou há milhões de anos.




Mas nessa perspectiva nós mergulharemos em outro momento. Por hoje, observe o que te cerca: que histórias os detalhes da paisagem te contam sobre as nuances do tempo?


Fotos: Ser e Perceber

509 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo